quinta-feira, 20 de julho de 2017

PELO MEU AMIGO

Eu acredito em seres "do outro mundo", seres que vão além da nossa compreensão, que nos enxergam e nos aceitam como se fôssemos as “figuras” mais normais do mundo e se permitem não atentar para as nossas imperfeições. 

Eu acredito nesses seres chamados amigos que suportam as nossas chatices, ranzinzices e outras "ices" que só nós temos, eles não estão ali para invejar o que temos ou reparar naquilo que deixamos de ter, nossos adjetivos, tanto bons quanto os ruins, são simplesmente nossos e aquilo que nos une não será mais forte ou mais fraco por termos mais qualidades do que defeitos e vice-versa.

Eu acredito nos amigos que são de janeiro a Janeiro, independente da proximidade que temos ou da distância que nos separa, se somos simplesmente somos e pronto. 

Também creio nos irmãos tão chegados quanto amigos e nos amigos mais chegados que irmãos, pois a Santa Palavra me ensina a segunda parte e eu vivo a primeira.

Existem amigos que são como espiões e aparecem na hora exata que nós precisamos, já outros estão sempre presentes, estes dois são como super-heróis, surgem na hora certa, sempre prontos para sorrir e até mesmo para chorar juntos, ou para simplesmente viver um momento infinito de silêncio que só o amigo sabe o que é.

Eu creio piamente no mistério inexplicável e indizível da amizade, essa identidade sem lógica entre pessoas tão diferentes que se permitem estar presentes por um longo ou curto período de tempo com outra pessoa de cultura e educação tão diferentes, a fim de ouvi-la, apoiá-la, consolá-la, ou discutir, discordar, reclamar, brigar e no final de tudo expressar um olhar autêntico, apertar as mãos e dizer: - Até mais meu amigo.

Por tudo isso e muito mais que jamais, em tempo algum, as minhas palavras poderão registrar, por nossa amizade que além de nós, ninguém mais saberá ou poderá ousar explicar e sequer compreender...

Muito obrigado meu amigo!

Sinceramente,
www.inspiradas.com










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário