segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Síndrome de Tomé


Vou iniciar este artigo com uma adaptação de um trecho muito conhecido do livro “O Pequeno Príncipe”:

- Tu és eternamente responsável pelo que falas!

Gostaria de meditar com vocês sobre a Síndrome de Tomé. O artigo se chamaria Crônicas de Tomé e no seu conteúdo constariam as reflexões de alguém que recentemente foi acusado de ser Um Tomé, ou seja, eu. O texto contaria com muitas palavras que me vieram à mente como reação humana, mas depois de uma bela caminhada e uma ótima conversa com Deus, resolvi desenvolver o texto em conformidade com os textos bíblicos e dentro da minha linha de pensamento (moderação no falar e paz em Cristo). 


Às vezes ou até mesmo no geral, é melhor não falar nada do que dizer algo 
que possa magoar alguém, mas isso já aconteceu e não fui eu quem falou.

Quem foi Tomé?

Tomé foi um dos doze discípulos originalmente escolhidos por Jesus, segundo os Evangelhos sinóticos e os Atos dos apóstolos (Mateus 10:3, Marcos 3:18, Lucas 6:15) havendo pouco registro além. (fonte: pt.wikipedia).

Tomé se tornou um dos mais famosos discípulos de Jesus no que se refere a atributos negativos, sendo superado por Judas, o discípulo que traiu Jesus. Quero, portanto, ressaltar alguns dos principais atributos de Um Tomé para que, se pensarmos em acusar alguém ou passar pela nossa mente que “ele ou ela” é “um Tomé”, ao menos faça isso de forma fundamentada, pois assim como o bumerangue lançado retorna para o seu dono, as suas acusações podem se voltar contra você.  

“Se você não quer se meter em dificuldades, tome cuidado com o que diz”. (Provérbios: 21.23).

“Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei”. (João 20:24-25).

No texto acima, identificamos três atributos, um deles (falta de fé) é o mais usado até hoje para se identificar Um Tomé, talvez só ele seja usado como "ver para crer", ficando para trás os outros dois importantes atributos e é nesses que vou me ater.

- Falta de fé, imprudência no falar e falta de sabedoria.


- Imprudência no falar

Antes de Tomé falar o que disse ou de exteriorizar o que pensou, ele deveria ter refletido com as informações que recebeu, meditado nas escrituras, além de buscar a Deus em oração para que assim não agisse com tanta imprudência no falar, mas o momento era de tensão e não foi isso que aconteceu.

- Se você passa por um momento de tensão e quer falar alguma coisa, cale-se! Não diga nada, pois poderá se arrepender mais tarde (crônicas de Tomé – que um dia espero escrever).

- “Quando o tolo fala, ele causa a sua desgraça, pois acaba caindo na armadilha das suas próprias palavras”. (Provérbios. 18.7)

- Se você tem o dom da imprudência e suas palavras tem causado um grande mal àqueles que estão ao seu redor, pare, pense e principalmente: NÃO FALE!

- É MELHOR NASCER MUDO DO QUE VIVER PARA FALAR ASNEIRA! (crônicas de Tomé – que um dia espero escrever)

A cautela no falar nos transmite o seguinte ensinamento: se você quer acusar alguém de ser Um Tomé, vá direto a ele e faça a acusação, esteja bem fundamentado e tenha testemunhas fieis ali presentes. Se você resolve fazer a acusação sem fundamentos, lançando mão de insinuações de alguém ausente à pessoas que não tem nada a ver com a questão, cuidado! Muito cuidado! Você está sujeito a ferir seriamente pessoas inocentes! Não se esqueça, acusações sem fundamento se tornam calúnias que trazem contendas que causam desuniões que proporcionam desarmonias que garante um presente com dor e um futuro com mágoas, estas são difíceis de se esquecer ou de curar.

“O ser humano é capaz de dominar todas as criaturas e tem dominado os animais selvagens, os pássaros, os animais que se arrastam pelo chão e os peixes. Mas ninguém ainda foi capaz de dominar a língua. Ela é má, cheia de veneno mortal, e ninguém a pode controlar”. (Tiago 3.7,8)

- Falta de sabedoria

Com certeza se Tomé foi imprudente no falar, logo, faltou-LHE sabedoria.

“Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos! (Isaías 5:21)

Se você tem sido um Tomé também neste quesito, não se preocupe, pois não farei uso das minhas palavras para esse texto, pois um versículo da Bíblia já resolve tudo, apenas um único versículo e é claro, você precisa se reconhecer como tal e aplicar este versículo para a sua vida, assim, segue a receita única:

E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada. (Tiago 1:5 – Versão: Almeida Corrigida e Revisada Fiel)

Repetindo em outra versão:

Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. (Tiago 1:5 – NVI)

Sugestão: Leia também os versículos 6 e 7 do capítulo 1 de Tiago

Vamos avaliar agora outro importante atributo ou fato negativo de Tomé:

- Ele não estava presente (cuidado, isto pode ser uma pegadinha)

Lembramos de Tomé porque ele não estava presente quando Jesus apareceu, certo? Errado! Não o texto, mas  nós da forma que aplicamos este fato.

Se Tomé disse o que disse, faltou com sabedoria e foi imprudente no falar. Quando ele fez o que fez e ficou registrado no rol da má fama, ele estava PRESENTE!

Um Tomé, portanto, não é o que está ausente, mas aquele que está presente falando imprudentemente e faltando com sabedoria, magoando a quem não deveria magoar e desrespeitando aquele que deveria dar o mínimo de crédito pela sua ausência. Tomé não viu o Mestre, pois estava ausente, foi dado a ele o crédito de ser informado do que aconteceu, ao tomar ciência, não creu.

O Seu Tomé estava ausente? Deu a ele o mínimo de crédito que merecia? Não? Cuidado para não se tornar um Tomé presente!

Quer identificar Um Tomé? Procure alguém presente e não ausente, que seja imprudente, não saiba conter a sua língua e seja sábio em si mesmo.

Este tipo de Tomé tem um potencial incrível de trazer contendas para um determinado grupo, faz o mal porque pensa que o que faz, consequências não traz, mas todo o mal tem a sua consequência. Lembra de como iniciei este artigo? É assim que terminarei ele, do contrário, falaria muito e os que muito falam tem mais oportunidades para errar.

Na multidão de palavras não falta pecado, mas o que modera os seus lábios é sábio. (Provérbios 10:19)

Que a palavra de Deus seja usada como as palavras da nossa vida e que as nossa palavras estejam em conformidade com Elas, as Santas Escrituras.

- Tu és eternamente responsável pelo que falas!

Obs. Ao preparar este artigo, fui muito abençoado com outro artigo que escrevi O PODER DA LÍNGUA – dele aproveitei alguns versículos que usei hoje, caso você queira ler este artigo, basta clicar no nome dele acima e será direcionado para ele.

Abs.

Joelson
Inspiradas.com

Um comentário:

  1. Bela Reflexão. Pr. Russell Shedd falou algo que eu guardo com muito carinho: "Entre o que eu digo e o outro escuta existe um enorme abismo, e quem habita no abismo é o Inimigo de nossas Almas".
    Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Tiago 1:19

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário